• Gabrielle Teles

Eleições 2020: Conheça as propostas dos candidatos a Prefeitura e seus legados para a cidade do Rio


Eduardo Paes e Marcelo Crivella disputam o segundo turno, que ocorre neste domingo (29). Entenda como foi a passagem de ambos pela Prefeitura e o que pretendem fazer, caso assumam a nova administração.

 

O segundo turno das eleições acontece neste domingo, dia 29 de novembro. Desta vez, o carioca decide o futuro da prefeitura do Rio entre Eduardo Paes, que governou a cidade entre 2009 e 2016, e Marcelo Crivella, que assumiu o posto em seguida e está no seu primeiro mandato. Confira abaixo as principais propostas dos candidatos:


Eduardo Paes (Partido Democratas)

  • Implantar 21 clínicas de especialidades (oftalmologia, cardiologia, saúde da mulher, odontologia etc.) e 13 centros de diagnóstico por imagem até o final de 2023;

  • Fazer o planejamento do programa “2 anos em 1” para a volta às aulas, além de abrir 30 mil novas vagas em creches e pré-escolas até 2024, e colocar mais de 3000 professores em sala de aula até 2022;

  • Expandir o Segurança Presente em bairros da Zona Norte e Oeste; garantir a seguranças nas estações do BRT com monitoramento por câmera em tempo real e criar o BRT Rosa (com divisões específicas para mulheres);

  • Ampliar os recursos do Cartão Família Carioca (programa de transferência de renda) para as famílias de baixa renda que perderam entes para o coronavírus (no primeiro ano de mandato) e reabrir os restaurantes populares que se encontram fechados, além de implantar 15 novas unidades, até o final de 2023;

  • Iniciar o planejamento dos programas de revitalização da Avenida Brasil, da retomada de frentes de trabalho nas comunidades (Guardiões dos Rios, Agente Comunitário de Saúde e Garis Comunitários) e de oferta de vagas de estágio nos moldes do Jovem Aprendiz.

Confira as propostas na íntegra aqui.


Marcelo Crivella (Partido Republicanos)

  • Transformar o Hospital Ronaldo Gazolla no Complexo Especializado em Saúde com diversas especialidades, como: Urologia, Cardiologia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Infectologia, Ginecologia, Cirurgia Pediátrica etc.;

  • Implantar o Centro de Hemodiálise, Centro de tratamento odontológico a pacientes especiais, Centro de tratamento à pessoa com obesidade mórbida e ampliar os polos de imunização;

  • Realizar o Projeto Alfabetização Carioca e o Escola Digital (permitindo o reforço escolar online e o Programa tutores digitais);

  • Oferecer linhas de microcrédito para os pequenos empreendedores e criar 100 mil novos empregos diretos com investimentos em obras de infraestrutura;

  • Reequilibrar a tarifa dos pedágios da Linha Amarela e da Transolímpica, ampliar e otimizar o sistema aquaviário da cidade, e despoluir as Lagoas Rodrigo de Freitas e da Barra da Tijuca.

Confira as propostas na íntegra aqui.


O resultado do 1º turno das eleições municipais escolheu duas personalidades já conhecidas dos cariocas: Eduardo Paes (DEM) e Marcelo Crivella (Republicanos). As urnas de Rio das Pedras e Anil, apuradas pela Agência Lume (veja aqui a reportagem), entregam o mesmo resultado. Na pesquisa, Paes obteve 9.964 votos, enquanto Crivella ficou em segundo lugar com 4.920.

Ambas as gestões tiveram impactos significativos para os moradores de Rio das Pedras e adjacências, por isso, a Agência Lume relembra quais foram eles:


Eduardo Paes (2009-2016):

Durante os oito anos na prefeitura do Rio, o candidato pelo Democratas implantou alguns serviços, realizou certas obras, mas também deixou de cumprir acordos e promessas.

Até o fim de 2016, período em que estava saindo do cargo, Paes declarou que 100% da frota de ônibus estaria com ar condicionado, mas o objetivo não se cumpriu. Durante o seu governo, as linhas também passaram por um processo chamado de “racionalização”, que eliminou 50 linhas, alterou 26 e criou outras 21. A ação, porém, também se repetiu na prefeitura de Crivella, excluindo mais algumas linhas de ônibus.


As Clínicas da Família se tornaram um grande legado de sua gestão, facilitando o acesso dos moradores a medicamentos gratuitos e as consultas médicas, tudo custeado pelo SUS (Sistema Único de Saúde). No seu último ano na prefeitura, Eduardo Paes inaugurou a Clínica da Família Helena Besserman Vianna, em Rio das Pedras, e a Clínica da Família Barbara Mosley de Souza, no Anil, além de outras mais 84 unidades espalhadas pela cidade.

O BRT e o VLT também foram grandes marcadores. De acordo com a concessionária VLT Carioca, em matéria publicada pelo O Globo, a Prefeitura tem uma dívida de mais de R$ 150 milhões com a empresa, que no ano passado pediu a rescisão do contrato na Justiça.


No âmbito da educação, Eduardo Paes publicou o decreto 30.340 no primeiro dia de seu mandato, retirando a aprovação automática nas escolas municipais do Rio, que, na prática, permitia a aprovação de todos os estudantes, independente de seu rendimento.

Já se tratando de outros serviços, o candidato do DEM criou o 1746, canal no qual o cidadão pode fazer solicitações para a Prefeitura, e o Centro de Operações Rio (COR), que monitora o funcionamento da cidade.


Por fim, sua última gestão foi encerrada com as Olímpiadas e Paraolimpíadas Rio 2016. Além dos feitos já mencionados aqui, o evento deixou alguns legados: a ciclovia Tim Maia (em entrevista para O Globo, o candidato diz se arrepender da obra, caso soubesse que a construção tiraria a vida de duas pessoas em 2016); Porto Maravilha e a Linha 4 do metrô. Para levantar o Parque Olímpico, as residências que abrigavam cerca de 550 famílias foram removidas do local conhecido como Vila Autódromo, sobrando apenas 20. Na época, foram oferecidos apartamentos no conjunto habitacional Parque Carioca, em Jacarepaguá.


Marcelo Crivella (2017-2020):

O início do mandato de Marcelo Crivella alterou, especialmente, a rotina dos moradores de Rio das Pedras. O projeto de verticalização, que mudaria o nome da comunidade para Rio da Gente, construiria 30 mil apartamentos e empreendimentos comerciais, causou revolta e medo na população que temia a retirada de suas casas. Após as manifestações e articulações com a Câmara dos Vereadores, Defensoria Pública e Pastoral da Favela, o prefeito desistiu do plano, mas propôs uma medida alternativa, que incluía a melhora urbanística e iluminação eficaz. A promessa, no entanto, não foi cumprida pela prefeitura.


O Choque de Ordem implantado por Eduardo Paes no primeiro ano de mandato, que visava proibir a circulação de ambulantes informais, ganhou uma nova roupagem no governo de Crivella. A operação, intitulada como Tolerância Zero, notificou e demoliu cerca de 200 imóveis próximos a região conhecida como Areinha, em Rio das Pedras. Segundo o órgão, as construções, além de serem ilegais, pois estavam em área de preservação ambiental, também facilitavam a inundação em períodos de chuva. Na época, a Subsecretaria de Habitação informou que havia cadastrado 13 famílias no auxílio habitacional temporário e seguiria no processo.


Na educação, o Programa Orquestra nas Escolas foi um feito de Marcelo Crivella diante a Prefeitura. A ação oferece aulas gratuitas de instrumentos musicais para alunos de escolas públicas e, até este ano, o programa contava com 11 mil estudantes. Através de parcerias, o candidato do Republicanos também realizou atividades culturais e esportivas dentro dos colégios.


Já no âmbito da saúde, o prefeito precisou lidar com a pandemia do coronavírus – que também será pauta para a próxima administração, independente de quem for eleito – e, com isso, comprou 27 tomógrafos (uma unidade está instalada no Centro de Imagem construído pela gestão de Crivella em Rio das Pedras) e criou o hospital de campanha do Rio Centro, na Zona Oeste da Cidade, que chegou a ter 500 leitos destinados a pacientes infectados com o coronavírus, sendo desses 100 de UTI, e 15 com recursos para hemodiálise. No entanto, devido a sétima fase de flexibilização do município, o hospital encontra-se desativado. Ainda durante a pandemia, a Clínica da Família Marcos Vinício Miranda Vieira, localizada na Muzema e que leva o nome do padre da região vítima do COVID-19, também foi inaugurada. A obra foi iniciada ainda na gestão de Eduardo Paes.


Segundo a Agência Lupa, especializada em checagem de fatos, até o momento Marcelo Crivella cumpriu menos de 20% das promessas que fez em seu programa de 2016. Dentre elas, estão a Clínica de Especialistas, que ofereceria profissionais como dermatologia e ortopedia, e o funcionamento do BRT TransBrasil, que teve sua construção iniciada em 2014, ainda com Eduardo Paes e, até o momento, não foi concluída. Outra situação semelhante acontece em uma escola municipal, localizada no Moradas do Itanhangá, em Rio das Pedras, que está sendo construída desde a gestão anterior.

 

Conteúdo Publicitário