top of page
  • Fernanda Calé

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição e a Fazenda do Rio Grande


Na imagem podemos ver uma capela branca com detalhes azuis no alto de um escadaria.
Foto: Val Costa.

Por: Val Costa

Professor e pesquisador do IHBAJA

 

No século XVIII, na localidade conhecida atualmente como “Pau da Fome”, foi criada por Antônio Paio a Fazenda do Rio Grande. Nessa propriedade, por volta do ano de 1737, foi edificada a Igreja de Nossa Senhora da Conceição e São Boaventura, que ainda existe nas proximidades do Largo do Rio Grande, conhecido popularmente como Largo da Capela.

 


 

O último dono da Fazenda do Rio Grande foi Francis Walter Hime (1885-1948), avô do famoso compositor Francis Hime. Essa propriedade destacou-se pela criação de cavalos puros-sangues e pela pecuária bovina de leite.


O Largo da Capela está localizado na confluência das Estradas do Rio Grande, do Pau da Fome, do Rio Pequeno e dos Teixeiras. Nele, encontra-se uma fonte intitulada “O outono”, na qual observa-se a figura do deus Dioniso, que na antiga religião grega representava os ciclos vitais, as festas, o vinho e o teatro. Essa fonte foi produzida pela fundição francesa Val D'Osne e inaugurada em 27 de agosto de 1923.


Em 1967, parte da Fazenda do Rio Grande foi desmembrada para a instalação da Subestação de Jacarepaguá da Central Elétrica de Furnas. Essa subestação visava suprir o município do Rio de Janeiro com a energia da Usina Termelétrica de Santa Cruz, através da interligação com diversas subestações da Light.


Em 1978, uma outra parcela dessa propriedade foi loteada e deu origem ao Condomínio Passaredo. Dentro desse condomínio ainda existem as ruínas dos antigos estábulos usados para abrigar os cavalos criados nessa antiga fazenda.

 




Val Costa é professor de Geografia e Membro do Instituto Histórico da Baixada de Jacarepaguá.


Conteúdo Publicitário

bottom of page