top of page
  • Foto do escritorFernanda Calé

Travessia perigosa na Av. Engenheiro Souza Filho, em Rio das Pedras, expõe pedestres a acidentes


Na imagem podemos ver uma avenida com um canteiro central, ônibus e carros passam pelo local enquanto um homem corre para atravessar a rua.
Foto: Wellington Melo / Agência Lume.

A falta de sinalização e abrigo no ponto de ônibus, aumenta o risco de acidentes e dificulta a travessia dos pedestres.

 

Quem mora ou frequenta a região próxima a uma das entradas de Rio das Pedras, precisa enfrentar os riscos de atravessar uma avenida de grande circulação sem o auxílio de uma faixa de pedestres, ou sinal trânsito.

 
 

Na Avenida Engenheiro Souza Filho, próximo ao número 1000, região de grande movimento de pedestres, e que fica muito próxima a um farto comércio, grandes igrejas, muitas moradias e dois pontos de ônibus, não possuí orientação para travessia dos pedestres.


A situação fica ainda mais grave nos horários de pico, com crianças voltando da escola, trabalhadores desembarcando de ônibus e muitos ciclistas e motociclistas cortando veículos rapidamente pela direita.


Os pedestres que descem dos ônibus no lado esquerdo (sentido Muzema), precisam se arriscar e tentar atravessar sem que sejam atingidos. Muitas vezes a descida do ônibus em si, já se torna um risco.


O ponto de ônibus do lado esquerdo da via não possuí baia e nem um abrigo para aguardar o transporte. Com a grande quantidade de carros parados na margem da via, os ônibus e vans precisam parar no meio da avenida, fazendo com que os moradores desembarquem já disputando espaço com motos e bicicletas que fazem a ultrapassagem pela direita.


O trânsito na principal avenida de Rio das Pedras é considerado caótico por muitos moradores, e quem frequenta o trecho próximo ao número 1000, afirma que os acidentes são constantes.


Separamos um caso mais recente, no último dia 12 de maio, uma sexta-feira, por volta das 14h, uma mulher foi atropelada enquanto fazia a travessia. A vítima teve ferimentos moderados e foi encaminhada pelo Corpo de Bombeiros ao atendimento no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.


Para conseguir alguma 'segurança', alguns moradores da região contaram a Agência Lume, que fazem a travessia em duas etapas com o auxílio do canteiro central da avenida. Mas nem todos os pedestres seguem as mesmas medidas, e o que se vê todos os dias é uma verdadeira correria entre os carros.

 
 

Ponto de ônibus sem abrigo

Falando em falta de apoio na hora da travessia, muitos moradores aproveitaram para reclamar da ausência de um abrigo de ônibus no sentido Muzema. Os passageiros precisam aguardar o transporte numa pequena calçada atrás de carros estacionados, ou na margem da avenida, correndo risco de atropelamento.


Em dias de sol, os passageiros sofrem com o calor sem nenhuma cobertura, e em dias de chuva, ficam expostos tendo que lidar não só com a água, mas também com a lama.


A Agência Lume procurou os órgãos municipais para entender por que ainda não existe um sinal de travessia próximo ao número 1000, e por que os moradores precisam ficar expostos ao tempo enquanto aguardam os ônibus.


Sobre a ausência de um semáforo no local, a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro, a CET-Rio deu a seguinte informação por meio de nota:


"O trecho citado da Av. engenheiro Souza Filho será contemplado com obras de infraestrutura, novo pavimento e ordenamento urbano. Serão disponibilizados novos espaços para motoristas e Pedestres, com mais opções de travessias, estacionamento, pontos de ônibus, e áreas para embarque e desembarque."


Já sobre a ausência de um abrigo de ônibus, a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), disse que fará uma vistoria para verificar se existe um ponto de ônibus oficial no local. E caso seja constatada a existência do ponto de ônibus, a secretaria informou que encaminhará um pedido à Secretaria de Fazenda e Planejamento para instalação de um abrigo.


Veja a nota completa:


"Será feita uma vistoria pelos técnicos da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) para verificar se existe ali um ponto de ônibus oficial. Se isso se confirmar, será encaminhado o pedido à Secretaria de Fazenda e Planejamento para a instalação de um abrigo no ponto de ônibus citado."


A Agência Lume vai continuar acompanhando o caso.

Comments


Conteúdo Publicitário

bottom of page