• Agência Lume

Prédio desaba na comunidade de Rio das Pedras, localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro

Atualizado: 7 de jun. de 2021


Foto: Adão Paiva / Agência Lume.

Na madrugada desta quinta-feira (03) uma construção de quatro andares desabou na comunidade de Rio das Pedras, quatro pessoas foram levadas ao hospital e duas pessoas morreram.

Por: Eduardo Ribeiro; Fernanda Calé; Gabrielle Teles; Rô Tavares.

 

Por volta das 3h30min da manhã de hoje um prédio desabou na Rua das Uvas, na Avenida Areinha, em Rio das Pedras. No imóvel moravam sete pessoas, e seis estavam no local no momento em que tudo aconteceu. Segundo o município, O Centro de Operações da Prefeitura (COR) imediatamente acionou equipes para o local e toda área foi isolada. O trabalho de resgate dos bombeiros por buscas de sobreviventes durou mais de sete horas.


As primeiras vítimas foram encontradas no início das buscas ainda de madrugada, os feridos receberam os primeiros atendimentos no local e foram encaminhados para as unidades hospitalares, três para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e uma para o Hospital Miguel Couto na Gávea.

 

Continua depois da publicidade



Segundo informações do Corpo de Bombeiros, quatro pessoas foram socorridas com vida, são elas: Nataniela de Souza Gomes, de 28 anos, Antônia Tatiana Conrado de Souza, de 38 anos e Kiara Abreu, de 27 anos e Jonas Rodrigues de Souza, de 29 anos. Dois óbitos foram confirmados pelas equipes, uma menina de 2 anos e um homem identificado como Natan, de 30 anos, infelizmente não resistiram.


Foto: Gabrielle Teles/ Agência Lume

Por se tratarem de construções irregulares, a Defesa Civil está concluindo a vistoria nos prédios próximos ao desabamento. Seis deles já foram interditados e os moradores não poderão dormir no local esta noite.


De acordo com informações da Subprefeitura de Jacarepaguá, 20 pessoas de sete diferentes imóveis, todas desalojadas, foram cadastrados pela Assistência Social, mas ainda estão fazendo avaliação das condições socioeconômicas para saber se podem ser beneficiadas por algum programa social. Até o momento, nenhum morador afetado mostrou intenção de ir para abrigo, decidindo ficar nas casas de parentes.

 

Continua depois da publicidade


Na manhã de hoje, em entrevista aos jornalistas que estavam no local, o Comandante do Corpo de Bombeiros, Leandro Monteiro, falou sobre a saída dos moradores e sobre os riscos do local. "A maior dificuldade é conscientizar os moradores dos prédios vizinhos a deixarem suas casas e seguirem para um local seguro".

Foto: Fernanda Calé / Agência Lume.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, esteve no local e disse que o município irá prestar todo o auxílio para as famílias que passam por essa tragédia, e declarou que a Prefeitura está tomando diversas medidas contra as construções irregulares:

"Acho que a gente ta deixando uma mensagem muito clara nos últimos meses que tá acabando essa história de construção irregular. A imprensa tem mostrado operações da Prefeitura combatendo isso. Agora, é uma realidade da cidade. Nós não vamos retirar todas as casas, de todas as favelas do Rio, de todas as comunidades do Rio. O que se tem que fazer é olhar essas áreas com mais riscos, olhar essas construções, pra tentar fazer e produzir melhorias habitacionais."
"Ninguém vai construir mais nada nessa cidade de maneira irregular."

O governador Cláudio Castro também esteve em Rio das Pedras acompanhando os trabalhos durante a manhã de hoje e informou que é preciso melhorar a fiscalização e que esse trabalho precisa ser integrado entre Município e Estado:

"Acho que temos que realmente melhorar a questão da fiscalização. Essa fiscalização tem que ser integrada da Prefeitura e do Estado. Não adianta falar que é de um ou de outro, o problema é de todos nós em conjunto. Aqui ninguém foge da responsabilidade. Eu e o prefeito vamos sentar agora, conversar no pós, pra entender. Até porque a gente tem planos de infraestrutura, de ajeitar, até com recursos que estão vindo agora e, com certeza, as comunidades terão o seu quinhão de investimento. Eu acho que é importantíssimo para que novas tragédias dessa não aconteça."

Durante todo o dia de trabalho na comunidade, atuaram no local os agentes do COR, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Ligth, CET-Rio, Defesa Civil e Guarda Municipal. Foram acionadas ainda equipes da Naturgy, Comlurb, Subprefeitura de Jacarepaguá, Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (Seconserva), Secretaria de Ordem Pública, Secretaria de Infra Estrutura e Secretaria Municipal de Assistência Social.

Foto: Rô Tavares/ Agência Lume

A subprefeita de Jacarepaguá, Talita Galhardo, informa que a pedido do prefeito a fiscalização de novas construções será ainda mais rigorosa e imóveis irregulares serão demolidos, como tem acontecido nos últimos cinco primeiros meses do governo Eduardo Paes.


Equipes da Agência Lume acompanharam as movimentações no local durante toda a manhã e parte da tarde desta quinta-feira. Nós continuaremos trazendo mais informações e os desdobramentos do caso.

 

Conteúdo Publicitário