top of page
  • Ana Ludmila

Moradores de Jacarepaguá lutam por área de conservação permanente na região


Na imagem podemos ver um grupo reunido mostrando um cartaz que pede a instalação da unidade de conservação ambiental, eles estão em uma trilha de uma floresta e sorriem para a imagem.
Foto: Wagner da Silva.

Região está situada entre Parque Nacional da Tijuca e os limites urbanos dos bairros da Freguesia, Pechincha, Anil, Rio das Pedras e Muzema.

 

A secretária municipal de ambiente e clima, Tainá de Paula, em parceria com a Associação de Moradores e Amigos da Freguesia e Jacarepaguá (AMAF), Reflorestamento Quitite, Reflorestamento Urubu e Legislação Ambiental para Todos, realizaram no início deste mês de outubro uma visita a trilha da floresta localizada na Zona de Amortecimento do Parque Nacional da Tijuca.

 
 

O foco do encontro foi debater o projeto Floresta em pé Jacarepaguá, que tem como objetivo pautar a conservação da região situada entre os limites do Parque Nacional da Tijuca (que atualmente se encontra bem preservado) e os limites urbanos (bairros da Freguesia, Pechincha, Anil, Rio das Pedras e Muzema), que sofre com a expansão do mercado imobiliário, assim como atividades de desmatamento.


Um dos diretores da Associação de Moradores e Amigos da Freguesia (AMAF), Sidney Teixeira, que também esteve presente na atividade, menciona que essa luta já é antiga e que no dia 2 de março deste ano, teve a petição Floresta em pé entregue à Secretaria Municipal de Ambiente e Clima, que resultou na visita realizada no último dia 7 deste mês.


Depois de algumas percepções que os próprios membros envolvidos tiveram sobre a preservação da região, o grupo teve a oportunidade de marcar o encontro com a secretária de ambiente Tainá de Paula, depois que um GIF (veja abaixo) circulou e chegou até ela.


A atividade também contou com a evidência de algumas situações que Sidney Teixeira considera importante de serem regradas como unidade de conservação, a falta de coleta de lixo na região e fogueiras.


Durante a trilha, os moradores também tiveram a oportunidade de conhecer o mapa da região que foi apresentado através de um banner, pontuando a necessidade da ação e a utilização do ambiente por parte dos visitantes.

Na imagem podemos ver um grupo reunido conversando em uma trilha florestal.
Foto: Rodrigo Kelly.

Karolina Dunai, também associada da AMAF, afirmou que a área tem um enorme potencial de estudo, de lazer e de preservação para toda a sociedade do Rio de Janeiro, e que atualmente se encontra desprotegida e precisando de uma maior atenção por parte da Prefeitura.


A moradora relatou ainda que espera que após a visita da Secretária as pautas levantadas possam trazer resultados para a população.


"A gente tá vendo hoje muitas consequências no Brasil inteiro do desmatamento, e ter uma floresta urbana pra gente é um privilégio. Pra gente que é morador do Rio e morador da Freguesia, então é importante que a gente mantenha isso, conserve, pro hoje e pro bem estar das pessoas, da população no futuro também."


Durante a atividade o projeto da unidade de conservação foi debatido, e segundo os moradores que participaram do percurso ficou acordado o compromisso entre as entidades de realizar o acompanhamento de todo o processo de preservação para que a pauta seja levada adiante, com o intuito de transformar o local em um parque ambiental, que irá beneficiar não só os moradores de Jacarepaguá, mas toda a população do Rio de Janeiro.













Comentarios


Conteúdo Publicitário

bottom of page