• Fernanda Calé

Gavime: conheça a organização que atua resgatando pessoas de abrigos e albergues municipais


Na imagem podemos ver seis pessoas, três mulheres e três homens, abraçados lateralmente posando para uma foto, quatro pessoas são voluntárias, e estão utilizando uma camisa branca com o nome da instituição Gavime,  ao fundo uma parede branca.
Voluntários ajudaram a realizar mais um resgate nesta terça-feira (23). / Foto: Agência Lume.

O grupo trabalha em diversas frentes que visam proporcionar igualdade e oportunidade a pessoas em situação de vulnerabilidade.

 


 

Fundada em 2018, a Associação Grupo de apoio viver melhor, Gavime, trabalha em diversas frentes que visam proporcionar igualdade e oportunidade as pessoas que não as tem. A organização não governamental e sem fins lucrativos, tem um forte compromisso com a luta para combater a miséria e a fome.


Além das diversas atividades oferecidas pelo Gavime, como consultas com psicólogos a preços populares, brechó solidário e aulas de culinária, a associação tem como trabalho principal a promoção da reinserção social, reabilitação e auto responsabilidade de pessoas que vivem em abrigos e albergues da Prefeitura do Rio, e precisam de ajuda para sair de uma situação de situação de vulnerabilidade.


Em 4 anos de atuação, o Gavime já 'resgatou' 6 pessoas de abrigos municipais, oferecendo um novo lar, emprego e apoio psicológico. A Agência Lume conversou com Renata Prado, cabeleireira, estudante de psicologia, idealizadora e responsável pelo projeto, para entender um pouco mais sobre o trabalho realizado.

"Eu sou a faz tudo no Gavime, de encontrar novos parceiros a montar o apartamento para um novo resgatado. O Gavime para mim é a minha ideologia de vida."

Podemos ver na imagem um homem alto, negro, com uma caminha polo de estampas horizontais, abraçado a uma mulher branca, de estatura mediana, utilizando uma camisa com o nome da instituição Gavime. Ao fundo uma parede branca com um espelho.
Renata entrega, em nome do Gavime, o novo lar de César.

Renata contou a Lume que seu envolvimento com trabalhos sociais se iniciou após um período de fortes chuvas na cidade, moradora da Muzema há 11 anos, Renata viu pessoas perderem todos os seus pertences em questão de horas. A partir desse momento ela decidiu ajudar algumas pessoas e viu que era possível fazer a diferença.


Após ajudar pessoas necessitadas, Renata resolveu alugar um espaço para a organização. Nesse primeiro momento criou um brechó solidário e oferecia, com o apoio de psicólogas voluntárias, consultas de psicologia a preços simbólicos.


Durante a pandemia o espaço precisou ser fechado e Renata levou a organização para a garagem de sua casa, e os trabalhos e consultas passaram a ser realizados de forma online. Entretanto, os impactos da Covid-19 na vida de muitas famílias, as obrigando a ir para as ruas, fizeram com que o Gavime iniciasse um trabalho importantíssimo, o resgate de pessoas em situação de rua.


O Projeto Resgate
Na imagem podemos ver um homem de aproximadamente 40 anos, alto, negro, vestindo uma camiseta estampada, segurando uma chave. Ao fundo venho uma parede revestida com papel de parede com desenho de tijolos e um quadro onde se pode ler a frase "comece acreditando que é possível".
Nesta terça-feira (23) a equipe entregou a César as chaves do seu novo lar. / Foto: Gavime.

Percebendo a necessidade de muitas pessoas que precisaram fazer da rua o seu lar, o Gavime iniciou seu projeto de resgate, a ideia era simples, devolver um lar para pessoas que não tinham casa, entretanto, era preciso muita ajuda e força de vontade para tirá-lo do papel.

"...quando você pega alguém na rua essa pessoa não tem estrutura, então você tem que construir essa estrutura, e dá muito trabalho. Não é só com acompanhamento psicológico, é com acompanhamento diário. Todos os dias a gente conversa com eles, todos os dia a gente insere alguma coisa (…) é a parte mais difícil do resgate, você conseguir colocar essas pessoas para adquirir princípios e valores que eles não tem” - Renata Prado.

Durante todo o processo de planejamento, fazendo dos erros aprendizados, a equipe do Gavime entendeu que era preciso fazer uma seleção de pessoas que realmente estavam dispostas a iniciar uma nova vida, e que estivessem prontas para trabalhar em prol disso, frequentar sessões de terapia e se esforçar para manter a estrutura que a organização proporcionaria.


Para isso, o Gavime entendeu que o ideal seria trabalhar com pessoas que estão em abrigos e albergues municipais, dispostas a iniciar uma nova caminhada. A partir daí, a equipe do Gavime, composta por psicólogas, faz entrevistas com o futuro resgatado, amigos e parentes, visando entender melhor o perfil daquela pessoa que será ajudada e se será possível seguir com o planejamento.


Uma vez aprovado, o 'resgatado' recebe um novo lar, um pequeno apartamento, é reformado, decorado e mobilhado. A organização, através do apoio de parceiros, arca com todos os custos referentes a reforma, compra de mobília, roupas e demais itens de necessidade, como alimentos, internet e televisão.

Além do resgate, a organização arca com os dois primeiros meses de aluguel, além de ajudar o resgatado na busca de um emprego, para que o mesmo possa arcar com suas necessidades.


Os resgatados também precisam frequentar sessões de terapia durante 6 meses e estar sempre em contato com a equipe da organização, para que juntos possam superar adversidades.


Segundo Renata, a ajuda de parceiros é muito importante, um exemplo é o local onde os resgatados moram, todos eles vivem em um mesmo prédio localizado em Rio das Pedras, a esposa do dono do local é uma das voluntárias do projeto, e o casal está sempre atento as necessidades dos resgatados nos meses seguintes de adaptação, que são os mais difíceis.


Além disso, empresas locais tem apoiado o projeto, seja na doação de itens essenciais, como na oferta de empregos. Fazendo com que essas pessoas encontrem ambientes acolhedores e tenham mais chance de sucesso.


Nesta terça-feira (23/08), mais uma pessoa foi recebeu o apoio da instituição, César, foi contemplado com um um apartamento totalmente mobilhado, e a partir de agora contará com o apoio da equipe do Gavime para seguir em frete.


Com uma possibilidade de emprego já encaminhada na loja de uma empresa parceira, a Fluzão HomeCenter, Cézar agradeceu muito o apoio e disse que irá se esforçar para iniciar da melhor forma essa nova etapa de sua vida.


Veja o registro feito pela equipe da Agência Lume, do momento da entrega:




Outras atividades

Atualmente a Gavime oferece apoio psicológico, terapias holística e complementares, algumas especialidades médicas, cursos profissionalizante e roda de conversa para mulheres e jovens. Todos os atendidos passam por análises socioeconômicas para identificar se realmente necessitam da ajuda.


Como ajudar?
Na imagem podemos ver um portão de alumínio com uma placa onde se pode ver o símbolo da organização Gavime, que é composto por um aperto de mãos que formam um coração. Abaixo do desenho se pode ler o nome Gavime.
Organização está aberta para receber apoio e doações. / Foto: Agência Lume.

A Associação Grupo de apoio viver melhor - GAVIME, fica localizada na Avenida engenheiro Souza filho 1307 casa 8A, no Condomínio Village das plantas. O grupo aceita voluntários, doações de roupas em bom estado para o seu brechó solidário, e doações de qualquer valor monetário.


O Gavime pode agendar a retirada das doações, ou os interessados podem doar na sede da organização, de segunda a sexta das 9h às 17h. As doações em dinheiro podem ser feitas tanto no pix quanto em deposito. Para mais informações sobre como doar entre em contato por telefone, WhatsApp no número 2198284-3506 ou por inbox em na página gavime.ong no Instagram.




Conteúdo Publicitário