Trânsito caótico preocupa moradores do Anil


Foto: Agência Lume.

A Estrada do Engenho D' Água, uma das principais vias da região, apresenta um grande fluxo de trânsito e desordem que atrapalha pedestres e motoristas.

 

Moradores e motoristas que trafegam pelo bairro do Anil reclamam de trânsito conturbado na Estrada do Engenho D'Água. Para transitar pela via, pedestres, motoristas e motociclistas precisam de atenção redobrada. O fluxo de carros e motos é intenso, e algumas sinalizações estão tapadas por árvores, ou velhas a ponto de dificultar a visualização das cores do sinal durante o dia.

 

Continua depois da publicidade


Para os pedestres, o risco é ainda maior já que muitos motoristas e motociclistas não respeitam os sinais existentes. Moradores da região precisam se arriscar e atravessar fora da faixa de pedestres, pois em alguns pontos da via a distância do ponto de ônibus para a faixa de pedestres é grande.


Onde existem semáforos, árvores nos arredores limitam a visão de pedestres e motoristas, ou a falta de sincronia entre sinais faz com que idosos e crianças precisem correr para atravessar. O péssimo estado das calçadas com diferenças de nível entre imóvel e outro, e carros parados irregularmente, fazem com que deficientes e idosos não consigam transitar sem ajuda.

"Eu tenho pavor de atravessar ali, porque você olha para um lado, olha para o outro, aí você tem que ficar às vezes atrás de um ônibus, atrás de um caminhão, pra poder conseguir atravessar. Aí às vezes você vai atravessar e vem uma moto cortando...Eu sinceramente tenho muito medo." - Fátima Telles (Artesã e moradora da região)

Alguns moradores afirmam que preferem se arriscar entre os carros, já que percorrer grandes distâncias na rua, principalmente à noite é perigoso e pode resultar em assaltos.


Para quem já mora na região a muito tempo, a via que abriga diversas empresas e condomínios vem recebendo nos últimos anos uma quantidade de trânsito que seria incompatível com a sua capacidade. Segundo moradores, isso aconteceu devido a quantidade de empreendimentos inaugurados na região, para eles seria preciso fazer uma readequação viária, assim a rua se adaptaria à sua nova realidade.

Foto: Agência Lume.

Já os moradores que tentam caminhar até o cruzamento com a Av. Tenente Coronel Muniz de Aragão, para atravessar, dizem que o sinal que controla o trânsito fica aberto para os pedestres por pouco tempo.

 

Continua depois da publicidade



Além desses impasses, quem transita na região reclama também da falta de guardas de trânsito e, consequentemente, do desrespeito de muitos motoristas em relação às regras no trânsito e de muitos motociclistas que avançam pelas calçadas.

Árvore encobre a sinalização viária em rua no Anil. /Foto: Agência Lume

Para alguns moradores a solução encontrada para evitar a travessia ao chegar ou sair de casa, foi adotar o uso dos transportes privados por aplicativos.


A Lume entrou em contato com a Subprefeitura de Jacarepaguá, para entender o que pode estar acontecendo no local. A Subprefeitura respondeu dizendo que esses problemas já haviam sido detectados anteriormente e fazem parte da lista de contrapartidas pedidas para o empreendimento que está sendo construído na região.


Ela acrescentou dizendo ainda que, em breve, os pedestres e os moradores em geral vão sentir a diferença, e que no período de espera à implantação das melhorias, foi pedido que a CET-Rio melhore a sinalização da via.


Procuramos a Multiplan, empresa responsável pelo shopping Park Jacarepaguá, para conseguir mais informações sobre a citada lista de contrapartidas, mas até o momento de publicação desta reportagem não obtivemos a resposta.


Em relação à segurança, contatamos a Polícia Militar e a resposta recebida foi que o 18ºBPM (Jacarepaguá) emprega suas ações de ostensividade de forma dinâmica e alinhada com os dados da mancha criminal. E o patrulhamento está nas ruas trabalhando para prevenir e coibir práticas delituosas, como furtos e roubos.

 

Conteúdo Publicitário