Moradores da Freguesia lutam por asfalto há mais de 40 anos


Segundo os moradores do trecho final da rua Ituverava (1539-1660) existem um descaso com a região.


Matéria atualizada em: 04/05/2021 às 20:08

 

Moradores do trecho final da rua Ituverava entre os números (1539-1660), na Freguesia, entraram em contato com a Agência Lume para denunciar o que para eles é um descaso das autoridades. Segundo os moradores, há mais de 40 anos eles pedem que a Prefeitura asfalte o trecho final da rua, mas apesar dos pedidos e denúncias, a obra nunca foi realizada.


À noite, o local fica bastante escuro, e entre uma roçada e outra feita pela Comlurb, acaba acumulando bastante mato. Quem passa pela região corre o risco de encontrar com cobras e ratos. Os moradores afirmam que a Companhia realiza pequenos reparos e limpezas em um período de quatro em quatro meses, mas segundo eles esses serviços não seriam suficientes para acabar com os problemas. Além disso, algumas árvores da região estão caindo sobre a fiação e levando perigo ao local.

Galhos das árvores estão apoiados sobre a fiação na rua Ituverava. / Foto: Agência Lume.

Além dos problemas com a iluminação e com o mato, o terreno também apresenta irregularidades. Sendo assim, carros da Polícia, de Bombeiros e do Samu não conseguem entrar na rua. Os moradores também não podem contar com serviços postais e de transporte privado, como carteiro e Uber.


Continua depois da publicidade

 
 

Entre os anos de 2002 e 2006, a obra de pavimentação e drenagem do trecho chegou a ter uma estimativa de custo elaborada pela Coordenadoria Geral de Obras, além de prazo de execução, porém a ideia não chegou a sair dos papéis. Cansados de esperar, os próprios moradores fizeram uma escadaria, além de terem feito uma 'rua' com concreto na parte mais alta.

"Antes do concreto ser colocado por moradores, pessoas eram carregadas nos braços e levadas ao hospital." - Felipe Soares (morador da região)

Escadaria feita por moradores. / Foto: Agência Lume.

Nos últimos meses, os moradores ainda esperançosos de que a obra seria feita, recorreram a um abaixo-assinado e também ao serviço 1746, disponibilizado pela Prefeitura do Rio, mas ainda não obtiveram resposta.


Os moradores do local argumentam que suas residências, apesar de estarem localizadas na parte mais alta da rua, fazem parte da rua Ituverava, quem mora na rua chega pagar cerca de 6 mil reais de IPTU. Mas mesmo pagando corretamente os impostos, cerca de 30 famílias que moram no local não se sentem tratadas como os demais moradores do início da rua, e não tem as condições básicas atendidas. Para sair de casa precisam se arriscar na escadaria ou descer por outro lado, na rua Guanumbi que dá acesso à comunidade da Tirol.


Continua depois da publicidade

 
 

O que dizem os citados:


Procurada pela Lume, a Comlurb informou que os serviços de roçada, limpeza e coleta domiciliar na rua se encontram normais. A empresa disse ainda que o serviço de roçada e capina obedece a uma programação mensal, podendo ser antecipado de acordo com a necessidade, e que a rua Ituverava já está na programação para a retirada do mato.


Nós também entramos em contato com a Secretaria Municipal de Obras, que respondeu dizendo que no momento não existe previsão de obras para o local. Mas que seriam enviados técnicos para realizar uma vistoria.


A Lume também procurou a Rio Luz para perguntar sobre uma possível verificação da situação em que se encontram a iluminação e a fiação do local, e a resposta foi que o problema é causado principalmente pela poda das árvores que ainda vai ser realizada pela Comlurb.


Veja mais imagens do local:

 

Conteúdo Publicitário