• Agência Lume

Redentor diz que se esforça para manter salário de seus colaboradores


Paralização feita por rodoviários em 2020. / Foto: Agência Lume.

Segundo a empresa, a Redentor vem sofrendo os impactos da crise no setor de transportes. Funcionários alegam que não recebem uniformes desde 2019.

 

Após a divulgação de uma carta aberta que funcionários do Grupo Redentor teriam escrito à empresa, onde os rodoviários reclamam de redução dos salários e escalas de trabalho, a empresa se manifestou.


Segundo o Grupo Redentor, a empresa vem sendo atingida pelos impactos da crise no setor de transportes, e que houve uma redução de 50 por cento no número de passageiros pagantes desde o início da pandemia, mas que mesmo com essa diminuição a empresa se esforça para manter em dia os salários e demais benefícios dos colaboradores.


A Redentor ainda afirmou que sem auxílio por parte do Poder Público para a manutenção do serviço de transportes, a empresa, na intenção de manter ativos os postos de trabalho, está utilizando medidas previstas no 6º termo aditivo da Convenção Coletiva, que prevê redução na jornada de trabalho, com proporcional redução na remuneração.



A empresa ainda finaliza dizendo que sempre primou pela qualidade na gestão de recursos humanos, e disse que reafirma o seu compromisso com clientes e colaboradores, e segue aguardando soluções por parte do Poder Concedente para que a crise seja superada.


Após a divulgação da matéria de ontem, que falava sobre a redução dos salários, a Lume recebeu mensagens de outros colaboradores da empresa, que dizem não receber uniformes para trabalhar desde agosto de 2019.


Voltamos a entrar em contato com a Rio Ônibus, que respondeu dizendo que a empresa reafirma a sua primeira resposta.


Veja agora a nota completa enviada pela Rio Ônibus e pelo Grupo Redentor:

"Mesmo atingido pelos impactos da crise que atinge o setor de transportes, que se traduz na queda de 50% no número de passageiros pagantes desde o início da pandemia, o Grupo Redentor se esforça para manter em dia os salários e demais benefícios dos colaboradores.

Sem auxilio por parte do Poder Público para a manutenção do serviço de transportes, que é essencial, como já acontece em diversas outras cidades brasileiras, a empresa, na intenção de manter ativos os postos de trabalho, está utilizando medidas previstas no 6º termo aditivo da Convenção Coletiva, que prevê redução na jornada de trabalho, com proporcional redução na remuneração.

Fiel a sua trajetória de mais de 70 anos, o Grupo Redentor, que sempre primou pela qualidade na gestão de recursos humanos, reafirma aqui seu compromisso com clientes e colaboradores e segue aguardando soluções por parte do Poder Concedente para que a crise seja superada e tudo retorne ao normal. "

 

Conteúdo Publicitário