top of page
  • Foto do escritorDouglas Teixeira

Puro suco de Rio de Janeiro: O Corpo Encantado das Ruas


Uma pessoa segurando um livro com o título "O corpo encantado das ruas" na frente de árvores.
A ilustração inspirada nos caquinhos de doces de Cosme e Damião que estampa a capa do livro. / Foto: Fernanda Calé/Agência Lume

Tudo é história e tudo tem encanto. O Rio de Janeiro apresentado em seus detalhes mais gostosos por Luiz Antonio Simas.

 
 

Pegando o gancho da última quarta-feira, dia 27 de setembro, dia de São Cosme e São Damião, hoje escrevo sobre o livro de crônicas "O Corpo Encantado das Ruas", de Luiz Antonio Simas.


Explico: a capa da edição imita o tradicional saquinho de doces que povoa o imaginário das lembranças da infância, o que abre caminho para os textos de Simas, que exaltam a sabedoria popular e fazem uma justaposição entre o sagrado e o profano.


O autor se aprofunda nos saberes das ruas de um Brasil que vive à margem e das pessoas que vivem nesse Brasil. Cada texto é um relato poético que certamente encantará os cariocas pegando em cada um, uma emoção.


São 42 crônicas que podem ser lidas sem respeitar ordem cronológica, mas que têm uma linha condutora que cria ordem em meio ao caos, que faz com que as coisas façam um sentido único e que trazem impacto na leitura.


Nesta coletânea, resultado de muita pesquisa e esforço, Simas prova, mais uma vez, que o conhecimento popular não fica devendo em nada para o conhecimento erudito. O Corpo é um livro que rememora, atualiza e celebra o que e quem somos.


E é em meio a encruzilhadas, botecos, carnavais, pipas, missas e tambores, que o autor nos guia através de uma verdade histórica. Verdade essa que se apresenta nos detalhes, se somando aos poucos e crescendo até se tornar a lei silenciosa que nasce com a gente.


Com a escrita elegante como de um sambista, Luiz trata de assuntos sérios que permeiam a vida de todos nós, povo carioca: o desemprego, a doença, os perigos. Mas também de toda a festa, das celebrações, dos churrascos, do carnaval: da dualidade que é viver nessa cidade.


E é nessa elegância que passo a enxergar a obra não apenas como um registro de nossas vivências, mas como instrumento de luta e resistência contra aqueles que querem nos negar a própria existência.


O livro é primoroso quando nos mostra que as ruas são o que são: o lugar onde vamos à batalha, a do dia a dia, e a que oferece perigo para quem quer nos tornar novamente um povo submisso e domesticado.


Simas retrata um Rio de Janeiro que além de encantador, é encantado: pela dor, pela alegria, pelas histórias, pelas conversas, pelo samba e por todos aqueles que são testemunhas de uma história que acontece ao vivo, todos os dias, em todas as ruas da cidade.


"O Corpo Encantado das Ruas", fala sobre a construção da identidade do carioca e para além disso: da construção de um país que resiste, reexiste e transmite tradições. Fala sobre um povo que festeja, que comemora, se reinventa, e que jamais deixa de ocupar a rua. Compre o livro clicando aqui.


Avaliação: ⭐⭐⭐⭐⭐

 
A foto é de Douglas Teixeira: um rapaz branco, com o cabelo castanho num corte baixo, ele usa uma camisa marrom, brincos nas orelhas e um piercing no nariz. O fundo da foto é cinza.

Douglas Teixeira é publicitário e apaixonado por livros desde que aprendeu a ler. Além de escrever esta coluna, Douglas também é o Social Media e um dos fundadores da Agência Lume.



Comments


Conteúdo Publicitário

bottom of page