• Fernanda Calé

Pescadores de Jacarepaguá fazem barqueata para pedir a despoluição das lagoas do bairro

Atualizado: 13 de set. de 2021


Foto: Fernanda Calé / Agência Lume.

Pescadores do Canal do Anil e de Rio das Pedras também contaram com a parceria do Movimento Baía Viva.

 

Durante toda a manhã deste sábado (11/09), pescadores das comunidades do Canal do Anil, Rio das Pedras, e o Movimento Baía Viva, estiveram mobilizados. A Terceira Barqueata em Defesa do Saneamento Ambiental das Lagoas de Jacarepaguá, contou com a presença de moradores e profissionais que vivem da pesca na região, além de ambientalistas.

 

Continua depois da publicidade


 

O ponto de encontro para a barqueata foi o Espaço Cultural Canal do Anil, localizado na Avenida Isabel Domingues, às margens do Canal do Anil. Os pescadores chegaram cedo passando pela rua de difícil acesso que ainda conta com chão de terra batida. Nem o tempo fechado desanimou os pescadores que saíram da comunidade por volta das 9h30 da manhã.

Foto: Fernanda Calé / Agência Lume.

Segundo os pescadores, mesmo sendo reconhecidas como importantes escossitemas e atrativos turísticos da cidade, as lagoas da região encontram-se bastante poluídas por esgotamento sanitário despejado ilegalmente. Os pescadores dizem que o horário de maior poluição é durante a madrugada, e que condomínios das região, o lixo, aterros e ocupação urbana desordenada são os principais inimigos da lagoa.


Segundo o Movimento Baía Viva, é preciso priorizar investimentos no saneamento básico das comunidades e bairros da região. Esse evento foi a terceira barqueata organizada pelo movimento na região.

Da direita para esquerda: Allan Sílvio e Sérgio Ricardo. / Foto: Fernanda Calé / Agência Lume.

A Lume conversou com o Allan Sílvio e Sérgio Ricardo, organizadores da barqueata. Allan é líder comunitário da comunidade Canal do Anil e presidente da Associação de Pescadores do local, e vive há mais de 15 anos vive na região, segundo ele é preciso reivindicar os direitos dos pescadores:

"Estamos agora pedindo a ajuda dos governantes para olhar mais dentro da nossa lagoa, porque toda vez que a gente saí com o nosso barco pra poder ir pescar, a gente recolhe mais lixo do que peixe." - Allan Sílvio.

Já para Sérgio Ricardo que é gestor ambiental, e estuda a situação lagunar do Rio de Janeiro e também está à frente do movimento Baía Viva, as lagoas de Jacarepaguá são uma riqueza e se limpas poderiam oferecer um retorno ambiental, financeiro e de qualidade de vida aos moradores:

"Essas lagoas saneadas, sem esse lixo todo, resolvendo esse problema do déficit de habitação e do assoreamento, nós vamos poder ter aqui geração de emprego, pescado para sustentar as famílias, garantir a segurança alimentar, e principalmente nós vamos ter saúde." - Sérgio Ricardo
Foto: Movimento Baía Viva.

 

Continua depois da publicidade


 

Aproximadamente 20 barcos participaram da ação que se encerrou por volta das 14h. Os pescadores saíram da comunidade Canal do Anil, seguiram sentido Barra da Tijuca, e chegando a região próxima ao condomínio Alfa Barra, os pescadores encerraram a barqueata e voltaram para casa.


A Agência Lume procurou a empresa Iguá, que assumiu a concessão e é a nova responsável por oferecer o abastecimento de água e saneamento básico na região. A empresa respondeu por meio de nota:


"Nesse momento, a Iguá está em processo de operação assistida fazendo o levantamento de informações, planejamento de todas as atividades, organizando as equipes e iniciando a elaboração de projetos específicos. Dessa forma, serão entendidas todas as questões para planejar as melhorias".


Também entramos em contato com Cedae, que era responsável pela área, a empresa também respondeu por meio de nota:


"A obrigação de recuperar o Complexo do Lagunar de Jacarepaguá foi assumida pela concessionária Iguá, de acordo com o Anexo IV do contrato de concessão dos serviços de saneamento."


A Lume também questionou a Prefeitura, por meio da Fundação Rio-Águas, para saber se o existe um Plano Municipal de Saneamento Básico, e se o mesmo está sendo apresentado a Iguá, nova empresa responsável pelo saneamento da região. A Rio-Águas também respondeu por meio de nota:


"A Fundação Rio-Águas informa que o Plano Municipal de Saneamento Básico da cidade do Rio de Janeiro está em elaboração e na fase de diagnóstico. Os estudos concluídos na etapa anterior estão disponíveis no site da Rio-Águas, no Portal da Prefeitura do Rio, para a consulta da população. Os produtos do plano serão publicados no site, conforme o cronograma."


Veja a entrevista completa com Allan Sílvio e Sérgio Ricardo:

Veja também a fala do pescadores:


 








Conteúdo Publicitário