• Fernanda Calé

Moradores do Anil questionam troca de hidrômetros


Na foto podemos ver parte de um aparelho de medição de água também chamado de hridômetro.
Foto: Agência Lume.

Falamos com a Iguá para entender quando a substituição é realmente necessária.

 


 

Alguns moradores do Anil e Freguesia, entraram em contato com a Lume para falar sobre a troca de hidrômetros que vem sendo realizadas nas casas dos bairros. Segundo moradores, até mesmo hidrômetros com menos de 5 anos de uso estariam sendo trocados pela empresa Iguá.


Na hora da troca, muita gente ficou com dúvida sobre a necessidade do serviços, e também sobre como ficaria a conta depois da substituição. Por isso a equipe da Lume entrou em contato com a empresa Iguá Saneamento para entender diversas questões que envolvem esse tema.


Confira o que você precisa saber sobre troca de hidrômetros e tire todas as suas dúvidas:


O que está motivando a substituição de diversos hidrômetros na região?

Essa foi a primeira pergunta que enviamos a empresa, já que moradores questionaram se os hidrômetros antigos instalados pela Cedae já não seriam mais aceitos. Além disso, muita gente ficou na dúvida ao ver o aparelho ser trocado na casa de vizinhos, mas ser mantido em outras residências.


Segundo a Iguá, a substituição é necessária para garantir o bom funcionamento do equipamento, permitindo o correto acompanhamento do consumo. A troca se faz necessária porque, como outros aparelhos, o hidrômetro sofre desgaste com o tempo e pode perder a precisão na medição, que é aferida pelo INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial).


O correto funcionamento do medidor ajuda o cliente a identificar possíveis vazamentos e, assim, evitar o aumento desnecessário do consumo e o desperdício de água, contribuindo com a preservação do meio ambiente.


Quando um hidrômetro precisa ser trocado?

Essa questão é muito importante, já que o próprio morador pode ficar atento aos sinais de defeito do equipamento e necessidade de troca. Sobre esse tema a empresa disse que renovação do parque de hidrômetros tem relação com a perda de eficiência de medição que é diretamente associada ao tempo de instalação, que pode variar de um equipamento para o outro, em função de características como marca e local de instalação.


As verificações periódicas são efetuadas nos hidrômetros em uso, em intervalos estabelecidos pelo INMETRO, não superiores a sete anos. As verificações eventuais são efetuadas nos hidrômetros em uso a pedido do usuário, ou quando a Iguá julgar necessária. Para projeto de troca preventiva, cabe à empresa decidir o momento de antecipação.


Hidrômetros novos (com menos de 5 anos de uso) precisam ser trocados?

Muitos moradores ficaram sem entender o motivo da substituição, segundo eles aparelhos com pouco tempo de uso também estariam sendo substituídos. Sobre isso a Iguá disse que se baseia em diversas informações para planejamento de troca de hidrômetros.


A antecipação de prazo de troca é aplicada em situações especiais, como ocorrências de danos e em locais que passaram por fraudes que podem ter afetado o sistema mecânico interno.


Qual é a diferença do aparelho utilizado pela Iguá, e os aparelhos utilizados anteriormente pela Cedae?

Esse foi mais um questionamento que chegou a Lume, e sobre esse tema a empresa disse que todos os hidrômetros utilizados para medição de consumo de água fria devem atender às especificações estabelecidas pelo INMETRO.


O diferencial dos hidrômetros que estão sendo instalados pela Iguá são dispositivos antifraude e que são pré-equipados para medição remota.


Como o consumidor pode saber se o funcionário que está em sua residência realmente é um funcionário da Iguá?

Teve gente que ficou achando que era golpe e não quis permitir a troca, por isso perguntamos como reconhecer um funcionário da empresa.


A Iguá disse que é preciso observar alguns pontos, como o uso de uniforme e crachá. Além disso, em caso de dúvida, os clientes podem entrar em contato com os canais de atendimento (lojas físicas ou Central de Atendimento no número 0800 400 0509 - telefone e WhatsApp). A empresa reiterou ainda que a troca e leitura do hidrômetro é feita por equipes técnicas, devidamente capacitadas para a realização deste serviço


Se após a troca do aparelho, o valor da conta aumentar de forma desproporcional, como o consumidor deve proceder?

No final, muita gente comentou sobre o medo de que o que estava certo fosse alterado, e sobre como ficaria a conta no fim do mês. A empresa informou que os novos hidrômetros apresentam o real consumo dos imóveis.


Sempre que houver alteração considerável de consumo de um mês para outro ou se o cliente sair da sua faixa média de consumo sem motivo aparente, é importante informar à Iguá por meio dos canais de atendimento (lojas físicas ou Central de Atendimento no número 0800 400 0509 - telefone e WhatsApp). Se a alteração for consequência de problema técnico do hidrômetro, ele será trocado e o consumo será refaturado.


O que acontecerá com os consumidores que não permitirem a troca do aparelho?

Alguns moradores disseram que por não confiarem, não permitiriam a troca do aparelho, e nós fomos entender o que pode acontecer nesses casos.


Segundo a Iguá, Consumidores que não permitirem a troca do aparelho estarão em desconformidade com o regulamento do serviço, que prevê a obrigação de "franquear aos empregados e prepostos da concessionária o acesso aos medidores de consumo de água", bem como de "permitir a instalação de hidrômetros, inclusive de novas tecnologias, mesmo que seja no interior do imóvel".


A substituição dos hidrômetros nas situações indicadas é necessária para garantir o bom funcionamento do equipamento, permitindo o correto acompanhamento do consumo. Ou seja, os novos hidrômetros apresentam o real consumo dos imóveis.


Assim, contribuem, por exemplo, para identificação de vazamentos e o acompanhamento por parte do consumidor, evitando o aumento desnecessário do consumo e o desperdício de água, e contribuindo com a preservação do meio ambiente.





Conteúdo Publicitário