• Wellington Melo

Aneel decide cobrar tarifa extra até o final do ano


Em maio, estatal havia informado que não haveria cobrança extra até o final de 2020.

 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), decidiu em reunião extraordinária na tarde de ontem (30/11), que irá cobrar uma tarifa extra a partir desta terça-feira (01/12). A bandeira vermelha patamar 2 é a tarifa mais alta do sistema de bandeiras de energia elétrica (veja logo mais abaixo). Com essa nova tarifa, o consumidor irá pagar R$ 6,24 a mais a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos.

Em maio, a agência tinha informado que não cobraria nenhuma taxa extra aos consumidores, devido a pandemia da Covid-19, e que iria manter a bandeira verde até o dia 31 de dezembro. Decisão que foi revogada na reunião de segunda.


Para entender: O que são bandeiras?


Aplicado desde janeiro de 2015, as bandeiras tarifárias são um sistema de cobrança da Aneel para as contas de energia, com o intuito de conter os gatos provocados pela produção de energia nas usinas em épocas de poucas condições favoráveis, como nos períodos sem chuva, por exemplo. Todos os meses a agência divulga a bandeira vigente para o mês, e dependendo da cor, haverá uma tarifa extra na conta de luz do consumidor.


As bandeiras são divididas em três cores, com quatro tarifas no total. São as seguintes:


  • Bandeira verde: Utilizada em condições favoráveis de energia, onde não há acréscimo de valores na conta de luz.

  • Bandeira amarela: Condições menos favoráveis para a geração de energia, com isso, há um acréscimo de R$ 1,34 a cada 100 kWh consumidos.

  • Bandeira vermelha: Utilizada quando os custos de energia são mais caros (ligação de termelétricas para gerar energia, que são mais caras que as hidroelétricas). É dividida em dois patamares: No patamar 1, o acréscimo é de R$ 4,16 e no patamar 2, o acréscimo é de R$ 6,24 a cada 100 kWh consumidos.

 

Conteúdo Publicitário