top of page
  • Foto do escritorWellington Melo

Projeto para alertar moradores de Rio das Pedras sobre enchentes ganha concurso da PUC-Rio


foto de duas pessoas no mesmo quadro, Thiago Lima a esquerda é jovem branco de cabelos pretos curtos, Alexandre Júnior a direita é uma jovem branco de cabelos castanhos cortados curtos, ele usa um óculos de armação quadrada na cor preta. Os dois estão sorrindo para a foto.
Thiago Lima (esq.) e Alexandre Júnior (dir.) são criadores do projeto (Foto: Arquivo Pessoal)

Iniciativa busca amenizar impactos provocados pelas enchentes na região. Veja como vai funcionar:

 

Um projeto de criação de um sistema de alerta para moradores do Rio das Pedras foi o vencedor de um concurso promovido pela PUC-Rio na última semana. Chamado de "Favela+Segura", a iniciativa tem como objetivo amenizar os impactos das enchentes na vida cotidiana de quem vive na comunidade.

 
 

O projeto foi criado por Thiago Lima, de 23 anos, e Alexandre Júnior, de 27 anos. Ambos são estudantes da PUC-Rio. Thiago é aluno do curso de Geografia e Meio Ambiente, já Alexandre estuda Ciência da Computação na instituição de ensino.


Segundo Thiago, o "Favela+Segura" possui um sistema de alerta para enchentes, onde o equipamento manda informações em tempo real a cada dois minutos através de um sistema de Interface de Programação de Aplicativos (API em inglês).


O criador complementa que a ideia é que moradores e comerciantes estejam alertas sobre a potencialidade de onde a água da chuva pode chegar, fazendo com o que os mesmos coloquem seus bens mais importantes para uma parte mais elevada da residência ou estabelecimento, assim, reduzindo os ricos de perda total em épocas de grandes chuvas.


Segundo o Núcleo de Estudos em Cidadania e Política no Ensino da Geografia da PUC-Rio (NECPEG), a ideia é que o produto não funcione apenas como um sistema de alerta, mas que indique ações necessárias e urgentes a serem adotadas pelos moradores e comerciantes.


Ainda de acordo com o NECPEG, a diferença entre este sistema e o sistema de sirenes utilizados em várias comunidades do Rio é que no caso das sirenes, elas alertam em caso de previsão de chuvas, podendo vir ou não.


Já no caso do "Favela+Segura", o monitoramento e emissão de alerta serão feitos em cima da possibilidade de enchentes, baseado em informações em tempo real sobre o volume de chuva na localidade.


Como funciona o equipamento?

Segundo o NECPEG, o equipamento funcionaria por meio de um sensor com uma régua instalada dentro do estabelecimento, ou residência do morador. O próprio equipamento enviará informações em tempo real para o celular.


O núcleo complementa que a régua que irá medir o nível de água teria duas cores: amarelo e vermelho. Caso o nível chegue na cor amarela, isto sinalizaria que o morador/comerciante deverá realocar seus bens para a parte mais alta do estabelecimento/residência.


No caso da cor vermelha, o morador é alertado para que deixe o local, e se desloque para uma área segura. O sistema é acionado e, em seguida, dispara sinais a cada dois minutos, conforme o nível da água.


Representação de como funcionaria o sensor de alerta de enchentes (Foto: Divulgação/NECPEG)

Segundo Thiago, o projeto "Favela+Segura" também conta com uma rede de apoio imediata, através de uma página no Instagram. Nesta página, seriam divulgados dados como endereço ou chave Pix da vítima. Assim, os próprios moradores podem ir até o local e fazer doações.


O idealizador complementa que a iniciativa está em fase inicial de criação e está sendo desenvolvido por ele e Alexandre. Com a vitória no concurso, ambos levaram R$ 10 mil para auxiliar na confecção do projeto.


Temos três meses para entregar um protótipo de como funcionaria o sistema. Durante todo o processo, a PUC vai administrar como está o andando e, ao longo disso, vamos receber treinamentos para direcionar e aperfeiçoar o projeto. Vamos ter mentores para trabalhar e tirar dúvidas, disse Thiago.



Comments


Conteúdo Publicitário

bottom of page