• Wellington Melo

Lula vence e se torna presidente do Brasil pela terceira vez

Atualizado: 31 de out.

Com 100% das urnas apuradas, candidato do PT obteve 50,9% dos votos válidos, contra 49,1% de seu adversário, Jair Bolsonaro (PL)


O Brasil conheceu neste domingo (30) o presidente da República para os próximos quatro anos. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu Jair Bolsonaro (PL) com 50,9% dos votos válidos, Bolsonaro teve 49,1%. A vitória oficial de Lula foi confirmada após 100% das urnas apuradas.

Lula é eleito presidente do Brasil (Foto: Instagram / Ricardo Stuckert)


Lula recebeu cerca de 60,3 milhões de votos, contra 58,2 milhões de Jair. É a maior quantidade de votos recebida por um candidato à presidência na história do Brasil. O petista bateu seu próprio recorde, quando obteve 58,2 milhões de votos em 2006, quando derrotou Geraldo Alckmin (PSDB), que nesta eleição é seu vice.


Veja o resultado final


Urnas apuradas: 100% Lula (PT): 50,90% - 60.345.999 Bolsonaro (PL): 49,10% - 58.206.354

Brancos: 3.930.765 votos

Nulos: 1.769.678

Abstenções: 32.200.558


A apuração foi bem apertada. Com 50% dos votos válidos contabilizados, Jair Bolsonaro liderava com menos de 1% de diferença de Lula e, a partir daí, esta diferença começou a cair, até que o candidato do PT virou e tomou a frente, quando a apuração chegou nos 67%.


Com 90% das urnas apuradas, Lula abriu mais de um milhão de votos de diferença, em relação a Bolsonaro. A vitória de Lula foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por volta das 19h57min, com 98,77% das urnas totalizadas.


Esta é a vitória com menor diferença entre dois candidatos na história das eleições presidenciais. Antes da votação deste ano, o resultado mais apertado tinha sido em 2014, quando Dilma Rousseff (PT) venceu com 51,64% dos votos válidos, contra Aécio Néves (PSDB), que obteve 48,36%. A diferença em 2014 foi de cerca de 2,5 milhões de votos.


Após a vitória, Lula fez o discurso da vitória para a imprensa em um hotel, onde disse que pretende governar para 215 milhões de pessoas, e não somente para quem votou nele. "A partir de 1º de janeiro de 2023, vou governar para 215 milhões de brasileiros e brasileiras, e não apenas para aqueles que votaram em mim. Não existem dois Brasis, somos um único país, um único povo, uma grande nação", disse Lula.


Após discursar, o presidente seguiu para a Avenida Paulista, em São Paulo, onde discursou para milhares de pessoas. Em sua fala, Lula disse que teme que o candidato derrotado dificulte a transição do governo. Em um trio, Lula também agradeceu aos aliados, como o vice Geraldo Alckimin, a senadora e terceira colocada no primeiro turno, Simone Tebet (MDB), e a ex-presidente Dilma Rousseff.


Lula também agradeceu ao povo do Nordeste, que foi de onde saiu a vitória de Lula na eleição. Na região, Lula venceu em todos os estados, com destaques para Bahia, Maranhão e Piauí, onde o candidato do PT obteve mais de 70% dos votos válidos.


No Rio de Janeiro, Lula acabou perdendo para Bolsonaro. O candidato petista obteve 43,47% (4,1 milhões de votos), enquanto Bolsonaro teve 56,63% (5,4 milhões) de votos.


Sobre Luiz Inácio Lula da Silva


Luiz Inácio Lula da Silva nasceu em Garanhuns, no estado de Pernambuco, em 27 de outubro de 1945. Trabalhador de fábricas, Lula se tornou presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema, em São Paulo, por dois mandatos, nos anos de 1975 e 1978.


Em 1980, Lula fundou o PT (Partido dos Trabalhadores), junto com outros sindicalistas, intelectuais, políticos e representantes de movimentos sociais, como lideranças rurais e religiosas. No mesmo ano, Lula foi preso pela ditadura militar, após o Governo Federal intervir em uma greve de metalúrgicos em São Paulo. Ao todo, Lula ficou 31 dias preso na época do Regime Militar.


Lula foi uma das principais lideranças do movimento “Diretas Já”, que exigia a volta de eleições diretas para cargos legislativos. A primeira eleição vencida por Lula foi no ano de 1986, quando ele se tornou Deputado Federal para a Assembleia Constituinte.


Em 1989, Lula concorreu à Presidência da República, porém foi derrotado por Fernando Collor de Melo (PRN), que viria a sofrer um processo impeachment em 1992. Logo após, Lula ainda concorreu à presidência em mais duas oportunidades, nos anos de 1994 e 1998, quando foi derrotado por Fernando Henrique Cardoso (PSDB).


Em 2002, Lula chegou finalmente à presidência da República vencendo José Serra (PSDB) com quase 53 milhões de votos. Quatro anos depois, em 2006, Lula foi reeleito com 58 milhões de votos, quase 20 milhões a mais do que seu adversário, Geraldo Alckimin (PSDB). Durante o segundo mandato, a aprovação do governo Lula chegou a 87%, a maior da história do país.


Em 2018, Lula voltou a cena política, pois era um dos mais fortes para concorrer à presidência daquele ano, pela sexta vez. Porém, em abril de 2018 ele foi preso, após ser condenado pelo Juiz Sérgio Moro, sob acusações de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Lula foi solto somente em novembro de 2019. Ao todo, o novo presidente ficou 580 dias preso.


Neste ano, Lula conseguiu concorrer à presidência e, após terminar o primeiro turno na frente de Jair Bolsonaro (PL), Lula foi eleito presidente do Brasil para seu terceiro mandato.


O presidente eleito tomará posse em 01 de janeiro de 2023.

Conteúdo Publicitário