• Lucas Pereira

Governo estadual autoriza antecipação da 2ª dose da AstraZeneca de 12 para 8 semanas


Foto: Live Governo do Estado do Rio de Janeiro

Secretário de Saúde afirma que não há perda de eficácia na antecipação da dose de reforço.

 

Em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (13/07), o governador do Rio, Cláudio Castro (PL), anunciou que a segunda dose da vacina AstraZeneca contra a Covid-19 tem autorização para ser aplicada em 8 semanas. Até agora, o governo do Estado estava cumprindo a determinação do Plano Nacional de Imunizações (PNI) na aplicação da D2, que era de 12 semanas de intervalo para o imunizante.


Segundo Castro, o temor pelo surgimento da nova variante Delta, originária na Índia, fez com que a medida fosse tomada para evitar que casos de contaminação mesmo em pessoas que tomaram apenas uma dose da vacina pudessem crescer no estado.


O secretário de Estado da Saúde, Alexandre Chieppe, também estava na coletiva de imprensa e garantiu que a decisão para autorizar a segunda dose antecipada da AstraZeneca não foi apenas do governo, mas também autorizada pelo Conselho de Secretários Municipais de Saúde com unanimidade.

 

Continua depois da publicação

 

Ainda de acordo com Chieppe, a decisão pela antecipação é autorizativa, ou seja, os mais de 92 municípios podem antecipar a D2 da AstraZeneca mais não são obrigados a fazê-lo. Hoje, o secretário de Saúde do Rio, Daniel Soranz, afirmou que a capital não vai antecipar a segunda dose do imunizante por haver risco de perda de eficácia. Já Nova Iguaçu e Duque de Caixas afirmaram que vão acelerar a aplicação da segunda dose.


Em resposta a pergunta feita por um jornalista, o secretário de Saúde destacou também que os municípios já estão liberados para fazer o agendamento para segunda dose daqui a 8 semanas (o equivalente a dois meses) e que se houver possibilidade, é possível remarcar a D2 de pessoas que já tomaram a D1 de AstraZeneca.


O governador Cláudio Castro ressaltou ainda que as doses reservadas para aplicação da primeira dose não serão usadas para antecipar a segunda, mas que vão utilizar as doses que já seriam para a D2, que neste momento encontram-se armazenadas em galpões dos municípios.


Castro disse que nos próximos dias o governo vai começar uma campanha publicitária para incentivar as pessoas a tomar a segunda dose. O governador afirmou que a vacinação é a esperança para população e pediu que os fluminenses não fiquem escolhendo a marca da vacina que vai tomar na primeira dose.

 




Conteúdo Publicitário