• Fernanda Calé

Corpo encontrado em Florianópolis pode ser de pescador da Muzema


Marcelo Silva está desaparecido desde o dia 13 de janeiro, quando saiu para pescar com mais dois amigos.

 

Há mais de 40 dias as famílias de Marcelo Silva, Everaldo Rodrigues e Pablo Henrique tentam entender o que aconteceu com os pescadores. Os 3 amigos não são vistos desde o dia 13 de janeiro, quando saíram para pescar abordo da embarcação "Ressaca I".


Na manhã de ontem (25/02), a família de um dos pescadores conseguiu informações sobre o que pode ter acontecido, quando um corpo que pode ser de Marcelo Silva foi encontrado na costa de Florianópolis em Santa Catarina.


O cadáver estava boiando próximo na Praia Mole, no leste da ilha, e foi avistado por uma embarcação por volta de 7h25 da manhã de ontem (25). Segundo a Marinha, o corpo pode ser correlacionado ao de um dos pescadores.


A Marinha ainda disse que o cadáver foi recolhido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina e encaminhado para o IML local, onde deve ser feita a identificação. Segundo informações, familiares de Marcelo já estariam indo para Florianópolis para fazer o reconhecimento do corpo.


Para a Marinha, o fato é resultado do apoio da comunidade marítima às operações de Busca e Salvamento (SAR), que mantêm a divulgação do desaparecimento dos três tripulantes, diariamente por meio de Avisos-Rádio.


Marcelo Silva tinha 38 anos, era morador da Muzema, trabalhava como sushiman, e era apaixonado pela pesca.


Veja a baixo a nota completa da Marinha:


A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 1° Distrito Naval (Com1°DN), informa que um corpo encontrado hoje (25) por uma embarcação pesqueira, no litoral de Florianópolis-SC, pode ser correlacionado ao de um dos pescadores desaparecidos ao sul do Rio de Janeiro, em 13 de janeiro, a bordo da embarcação "Ressaca I". O corpo foi posteriormente recolhido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina e encaminhado ao IML local, a quem compete a identificação. O fato é resultado do apoio permanente da comunidade marítima às Operações de Busca e Salvamento (SAR), que mantêm a divulgação do desaparecimento dos três tripulantes, diariamente, por meio de Avisos-Rádio. Cabe ressaltar que a Marinha incentiva e considera importante a participação da sociedade, que pode ser feita pelos telefones 185 (número para emergências marítimas e pedidos de auxílio), (21) 2104-6119 e (21) 97515-7895 (diretamente com o Com1ºDN, para outros assuntos, inclusive denúncias).

 

Conteúdo Publicitário