• Mylena Pinheiro

Onda de assaltos assusta moradores da Freguesia e Anil


Na imagem podemos ver uma rua com carros estacionados, na parte superior dois homens em uma moto intimidam um jovem que anda na calçada.
Jovem é assaltado na Rua Firmino do Amaral.

Quem vive na região relata mudança na rotina e medo de andar a pé nas ruas.

 

Moradores da Freguesia e Anil, na Zona Oeste do Rio, relatam que estão assustados com o crescimento da quantidade de assaltados a pedestres nas ruas dos dois bairros.

 
 

Quem vive na região, afirma que o crescimento do número de roubos vem afetando a rotina e fazendo aumentar o medo de caminhar nas ruas. Segundo relatos, os assaltos costumam acontecer a qualquer hora do dia, e o foco principal dos bandidos seriam aparelhos celulares.


A Lume conversou com Marco Antônio, morador e síndico de um edifício na Rua Firmino do Amaral no bairro da Freguesia, o morador relatou que os assaltos ocorrem quase que diariamente em sua rua, e a situação se intensificou nos últimos 3 meses. Nesse período de tempo 5 moradores do prédio já foram assaltados.


O síndico afirma que os bandidos seguem o mesmo roteiro, costumam agir em dupla e utilizando motos sem placa, aparentam ser jovens e dificultam a identificação por usarem sempre capacetes.


Os assaltos acontecem a qualquer hora do dia, e os criminosos estão a cada dia, mais violentos. Marco Antônio afirma que os bandidos costumam subir e descer a rua diversas vezes, a busca é por vítimas que estejam desatentas e utilizando telefone celular. O síndico afirma que os bandidos abordam principalmente as mulheres.


O morador da Rua Firmino do Amaral diz que os aparelhos celulares são geralmente o alvo dos assaltos, entretanto alguns carros já foram roubados na região. O medo é de uma escalada na violência, já que os criminosos costumam ameaçar as vítimas com armas de fogo.


Sempre que podem os funcionários e moradores do prédio tentam ajudar os pedestres, que por ventura passam pela rua e são assaltados. A orientação é sempre no sentido de realizar o registro da ocorrência, na esperança de que com o aumento da mancha criminal registrada, a polícia tenha mais infraestrutura na região.


Veja a ação dos criminosos na Rua Firmino do Amaral abaixo:


Outra moradora do bairro que não quis se identificar, disse à Lume que os problemas com assaltos acontecem em várias regiões da Freguesia, e que já afetaram sua rotina. Hoje a jovem e sua família, que vivem na Rua Araguaia, passaram a utilizar mais carros de aplicativo para sair de casa.

A moradora afirma ainda que sua casa já foi invadida durante a noite, e sua família foi furtada enquanto dormia. A irmã da moradora já foi assaltada duas vezes, uma em 2018 e outra, mais recentemente, no ano passado.


No caso mais recente, os criminosos abordaram a jovem enquanto a mesma caminhava pela Rua Araguaia no sentido da rua Xingu, num dia bem cedo pela manhã, quando um carro parou e obrigou que a mesma entregasse não só o celular, mas sua bolsa inteira.


Os criminosos utilizaram um cartão bancário da vítima para roubar cerca de mil reais de sua conta. A jovem deu queixa na delegacia mas não conseguiu reaver os pertences roubados. Mesmo entrando na justiça, a jovem não conseguiu fazer com que a instituição bancária devolvesse o dinheiro roubado da conta. Desde então evita chegar muito tarde em casa, ou sair muito cedo sem companhia.


Uma moradora da Estrada do Engenho D'Água no bairro do Anil, que também não quis se identificar, revelou à Lume que na rua em que mora o clima de muitos moradores é de medo. Assaltos frequentes têm acontecido na região, e a rua, mesmo sendo muito movimentada, tem sido alvo dos criminosos.


A moradora disse que mudou sua rotina, tem gastado mais dinheiro com transporte por aplicativo e evita voltar para casa de ônibus após às 19h.

“Alguns vizinhos já foram assaltados enquanto esperavam no ponto de ônibus. Na maioria das vezes os criminosos aparecem de moto, assaltam quem está no ponto e vão embora. Vizinhos já presenciaram assaltos às 15h com a rua cheia e engarrafada, eles não se preocupam nem com a hora, nos sentimos impotentes.” - disse ela.

Apesar de, segundo moradores, a sensação de segurança ter piorado nos bairros, dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), mostram que em agosto de 2022, a região coberta pelo 18º Batalhão, que engloba os bairros de Vila Valqueire, Praça Seca, Tanque, Anil, Cidade de Deus, Curicica, Gardênia Azul, Jacarepaguá, Taquara, Freguesia e Pechincha, teve uma queda de 24,6% no índice de roubo de rua e 5,6% no índice de roubo de celular, em relação a agosto de 2021.


Por isso, é tão importante que as vítimas procurem a delegacia e façam o boletim de ocorrência. Essa é também a orientação da Polícia Militar, em nota enviada à Lume a PM disse que os registros em delegacias da Polícia Civil também são essenciais para que procedimentos investigativos sejam iniciados e ocorra a revisão da mancha criminal.


Além disso, segundo a PM, é importante que a população, sejam comerciantes ou moradores, acione as equipes de forma imediata através da Central 190. E que o 18º BPM direciona ações ostensivas, como rondas e abordagens, para coibir todas as modalidades de roubos nas regiões do Anil e da Freguesia.


Veja a nota completa abaixo:


A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que, até o mês de agosto de 2022, o 18º BPM (Jacarepaguá) fez 389 prisões e apreendeu 17 adolescentes. Os dados estatísticos do Instituto de Segurança Pública (ISP) demonstram que houve redução de 34,6% no total de roubos de rua e redução de 33,4% nos roubos a transeuntes quando comparados os períodos de janeiro-agosto de 2022 e janeiro-agosto de 2021 na área de policiamento do 18ºBPM.


O batalhão direciona ações ostensivas, como rondas e abordagens, para coibir todas as modalidades de roubos nas regiões do Anil e da Freguesia. A unidade também emprega policiais militares através do Regime Adicional de Serviço (RAS) para reforçar a atuação no perímetro.


A Polícia Militar ressalta ainda a importância de que a população, sejam comerciantes ou moradores, acione nossas equipes de forma imediata através da Central 190. Os registros em delegacias da Polícia Civil também são essenciais para que procedimentos investigativos sejam iniciados e ocorra a revisão da mancha criminal.



Conteúdo Publicitário