• Agência Lume

Diversas vacinas infantis tem procura reduzida


A queda da cobertura vacinal no Brasil preocupa, principalmente entre as crianças.

Por: Fernanda Calé e Rita Valente.

 


 

A procura por vacinas tem diminuído muito no país, principalmente para as vacinas que compõem o calendário vacinal infantil. Diversos fatores tem contribuído para a redução do número de crianças vacinadas com todas as doses de vacinas indicadas pelo Calendário Nacional de Imunização.


Segundo o ministério da saúde, as causas pode ter relação com o sucesso do programa de vacinação, como essas doenças já estavam ausentes no dia a dia das pessoas, a preocupação em imunizar as crianças pode ter diminuído. Outros fatores têm a ver com a falta de tempo das famílias para ir aos postos de saúde. Além do receio dos efeitos adversos dos imunizantes.

Em 2019, a porcentagem de crianças vacinadas com a vacina que protege conta Poliomelite chegou a cerca de 84%, em 2020, caiu para 76%; e no ano passado, nova redução - para 59,82%.


O Brasil também tem tido dificuldades na luta contra o Sarampo, em 2015, o país havia registrado os últimos casos da doença e recebeu em 2016 a certificação de "país livre do sarampo", mas em 2018, foram registrados 10,3 mil casos, o que fez o país perder essa certificação.


Diante desta tendência, nossa reportagem entrou em contato com a Secretária Municipal de Saúde do Rio de Janeiro que passou situação das coberturas de Rotina em crianças:

BCG - 79% em 2019 e 74% em 2020;


Poliomielite ou Paralisia Infantil – 79% em 2019 e 73% em 2020;


Pentavalente – 63%em 2019 e 78% em 2020;


Rotavirus – 78% em 2019 e 74% em 2020;


Tríplice Viral – 100% em 2019 e 78% em 2020;


Meningo C – 81% em 2019 e 73% em 2020;


Pneumo 10 – 83% em 2019 e 77% em 2020;

Hepatite A – 83% em 2019 e 88% em 2020;

Varicela - 83% em 2018 e 88% em 2020.


Para entender melhor esse cenário, na manhã desta quarta-feira (30), nossa reportagem esteve na Clínica da Família Helena Besserman Vianna, em Rio das Pedras, e conversou com profissionais da linha de imunização da unidade para entender como é feita a imunização e quem pode se vacinar. Veja a entrevista completa com a enfermeira Thamyres Miranda:



 

Conteúdo Publicitário